Parceria: Sou Phyna e Canecas Inteligentes

Olá phynas, hoje estamos aqui para falar de algo muito legal e que todo mundo gosta: Parcerias!

Estamos abrindo um espaço para novos parceiros do Sou Phyna e hoje vamos falar sobre nosso mais novo parceito, o Canecas Inteligentes! Muita gente já deve conhecer porque ele entregara para todo o Brasil, e o mais legal é que são todas canecas personalizadas, exatamente como o cliente pedir, legal  né?! Além e serem feitas de cerâmica de extrema qualidade. Tem coisa melhor do que tomar aquele cafézinho quentinho em uma caneca personalizada?!

Nós ganhamos uma linda do João, e adoramos muito!

10559689_689324451154800_3935950392779509585_n

Vamos deixar aqui para vocês o contato do João que é o dono do Canecas Inteligentes!

Site: http://vitrine.elo7.com.br/canecasinteligentes

Facebook: https://www.facebook.com/canecasinteligentes

Instagram: @canecasinteligentes

E em primeira mão para todas phynas fãs de canecas assim como nós, o blog Sou Phyna vai lançar uma linha exclusiva com o Canecas Inteligentes. Aguardem!

Fica aqui o nosso agradecimento ao Canecas Inteligentes!

Agora fiquem com alguns dos modelos que eles já fizeram, mas lembrando que você pode pedir a sua do jeitinho que você quiser ♥

550_362846457192344_1954389535_n 1173849_430721330404856_1919352021_n 1897662_448567815286874_124152405185002406_n 10002910_448570291953293_7451081299490620042_n 10153111_442225159254473_242923489_n 10322799_469857963157859_1087080385392304808_n

Super Beijo ;*

Doce setembro: flores por todos os lados

Depois de um agosto pesado, setembro vem com a promessa de ventos bons. Setembro é o mês das flores, marca o início da primavera o nascimento da flor mais bonita do jardim, aka euzinha kkkkkkkkk.

Como faço aniversário em setembro, pra mim é impossível não comemorar o mês todo (mesmo que o início seja sempre um pouco pesado pra mim). Para entrar no clima, nada melhor que trazer a inspiração das flores.

Quem acompanha o blog desde o começo sabe que sou um pouco obcecada por estampa florida, em especial, estampa liberty. E adoro que setembro já traz dias mais quentes e que permitem usar e abusar das estampas com flores.

E se engana que elas são apenas para as moçoilas mais românticas. A estampa florida pode ser moderna e bem versátil, afinal, são uma infinidade de tipos de estampa disponíveis no mercado. Basta escolher o que tem mais a ver com o seu estilo e se jogar!

Separei algumas inspirações para deixarem nosso setembro doce como o perfume das flores ♥

Flores 1 Flores 2 Flores 3 (mais…)

Rosa tom de chuva

rosa

O tempo fecha durante o dia, acinzenta a vida, e deixa qualquer indício de mal entendido um peso enorme para ser carregado durante a tarde. O vento deixa de ser legal, e qualquer música, por mais animada que seja, não preenche o vazio que a ausência de cores no céu traz.

Por não ser de todo mau, a noite traz a chance de recuperação da solidão causada pelo frio. O céu assume um tom de rosa, que é o rosa da chuva, mas só por ser cor já melhora o humor.

O rosa, na verdade, melhora muita coisa.

Rosa bebê, rosa chuva, mundinho cor de rosa, bochechas rosa, rosa flor, rosa choque ninguém pode, rosa antigo, rosa chiclete, rosa de paixão.

Cada rosa tem sua definição, além de alguns possuírem espinhos.

Mesmo o rosa sendo tom de chuva, não deixa de ser um rosa carinho, que traz boas novas, que traz a vida, que traz o essencial.

Foto: Tumblr.

DisHollywood: Uma série de pinturas que mostram o B-side da Disney

Olá meus amores, tudo beleza?

AVISO 1: O post de hoje é polêmico.

AVISO 2: Você pode amar ou odiar o post!

AVISO 3: Se você não quer estragar sua infância. Por favor! Pare agora de ler.

***

Pronto, avisei. Agora se você quer continuar, vem comigo que o fervo é liberado!

O babado é o seguinte: o artista José Rodolfo Loaiza Ontiveros, quis inovar! A ideia do projeto desse artista é uma espécie de tributo à ampla influência de Hollywood e todo o rebuliço em torno das celebridades. Com um toque satírico sobre os vícios e os tabus que preocupam a sociedade, José Rodolfo, choca, quando coloca personagens da nossa infância em situações “perigo”.

Enfim, vou parar de lenga-lenga e mostrar o B-side da Disney. O que você nunca pensou que rolava nos bastidores, você vê agora.

AVISO 4: Eu avisei!

64050_491947984220526_635286460_n1

jose21

jose31

jose41

jose61

joseontiveros_full1

o-MINNIE-900

slide_312027_2780313_free1

slide_359857_4018219_free

slide_359857_4018222_free

slide_359857_4018223_free

slide_359857_4018226_free

slide_359857_4018229_free

slide_359857_4018230_free

slide_359857_4018231_free

Uma beija para esse artista que choca, mas alerta para um mundo que parece glamouroso, mas que é perigoso. Cuidado, hein! Nem tudo que reluz é ouro.

 

#stopbeautymadness – como a indústria da beleza e da moda nos mata pouco a pouco a cada dia

Não sei se você já viu pela sua timeline mulheres postando fotos sem maquiagem, com a hashtag #stopbeautymadness, se não, vou explicar. Essa hashtag faz parte de um movimento que busca trazer de volta a real beleza de nós mulheres, que tentamos a vida toda nos encaixarmos em padrões impostos pela indústria da beleza, padrões esses que na maioria das vezes não condizem com a nossa realidade.

Tirar a maquiagem é a primeira camada de toda essa casca que nos envolvemos graças à indústria da beleza. É a ponta do iceberg, porque é a nossa mascara, nossa proteção, nosso escudo. Quando você tira esse escudo, fica vulnerável a tudo mais que pode te atingir. Mas tem a camada da não aceitação do corpo, e essa é a mais profunda e difícil de se quebrar. Essa é a que mais nos atinge, nos faz sofrer e nos destrói dia após dia.

E o pior é que essa indústria começa a nos atingir lá na pré-adolescência, período que é cruel justamente por existir e é repleto de dúvidas. É nessa fase que nós, principalmente as meninas, começamos a não nos acharmos bonitas o suficiente, e esse sentimento se arrasta até a vida adulta, e em alguns casos, pela vida toda.

Eu também passei por isso, e agora vou falar de mim, vou me despir pra vocês. Eu nunca fui a menina mais bonita do colégio, muito menos a mais popular ou engraçada. Eu sou tímida, e nessa fase era ainda mais, do tipo da que ouvia desaforo e não revidava porque simplesmente não tinha palavras pra usar. Meu cabelo era indefinido, eu era gordinha, não tinha peitos e não usava roupas de marca. Sempre tive poucos amigos por causa da minha timidez, e demorei pra crescer (no sentido literal e figurado). Enquanto minhas colegas de turma com 12 anos já estavam namorando, eu ainda brincava de boneca escondida em casa (porque todo mundo já me dizia que eu não tinha idade pra isso).

Quando você chega nessa idade, já começa a se intimidar porque tem meninas que são mais bonitas que você. Que você acha que são mais bonitas que você porque as revistas e programas de televisão dizem isso. E o choque mesmo vem quando você se apaixona pela primeira vez e o menino, que é um babaca porque meninos adolescentes são mesmo, não quer te beijar porque você é “feia”. Feia como, rapaz? Nem tenho o corpo formado, cabelo definido, meus hormônios estão se ajustando, a questão não tem nada a ver com ser feia.

E o mundo exterior não contribui pra isso. É nessa idade que você começa a ouvir que menina não pode fazer isso, menina tem que fazer aquilo, menina penteia o cabelo assim, menina não usa esse tipo de roupa, e todo o restante do blablablá. É CRUEL. É cruel ter vergonha de não usar sutiã porque você ainda não tem peitos e todas as meninas da sua sala tirarem sarro de você. É cruel com 12 anos, e com toda uma vida pela frente, já começar a se sentir um lixo porque seu cabelo não é liso, seu corpo não é sarado, seu rosto ser cheio de espinhas e os meninos não olharem pra você. É cruel ser tímida e não conseguir revidar a todas as coisas ruins que você ouve, não saber se defender e só pensar em se encaixar nesses padrões pra simplesmente parar de ouvir tudo isso.

Só que antes eu tinha uma mágoa de todas essas meninas que de alguma forma me machucaram com palavras ruins, mas hoje, já adulta, paro pra pensar que elas também sofreram com isso. Pode ter certeza que a menina popular da sua sala também sofria na frente do espelho pra se encaixar nesse padrão, que pode ser que ela nem quisesse fazer parte dele, mas fazia porque no final recebia vários elogios e inflava o ego por isso. Mas pode ser que por dentro ela sentisse o mesmo vazio que eu, que você, que não conseguia se encaixar, que não queria se encaixar, mas que “precisava” fazer isso.

O problema é que esse sentimento de se sentir um lixo mina um monte de coisa nas nossas vidas. Com uns 13 anos, meu corpo já começava a se formar, e eu era baixinha e gordinha. Morria de medo de ficar gorda porque todo mundo dizia que ser gorda era ruim. Pedi pra minha mãe me matricular em todas as atividades esportivas que pudesse. Teve uma época que eu fazia handebol, natação e basquete, ao mesmo tempo, cada dia um. Claro que emagreci, o metabolismo nessa fase é acelerado. Mas eu não era boa em nenhum porque nunca tive aptidão esportiva, então todo dia era um martírio de gritos que eu tinha que ouvir porque era lenta, distraída e não tinha força física pra aguentar os treinos. Mas emagreci, era isso que importava.

E pra entrar em todos os esportes eu tive que abandonar uma outra paixão: a dança de rua. Eu sempre amei hip hop, mas ouvia comentários de que hip hop não era dança de menina, de menina branca ainda, o que é pior. Eu fiquei muito chateada, porque era a única coisa que eu realmente gostava de fazer na vida. Eu gostava e sentia que fazia bem. Mas eu abandonei porque Deus me livre fazer algo que não era coisa de menina.

Eu tinha 14 anos, já era magra, não fazia mais dança que não era de menina, mas o sentimento de não se sentir boa o bastante continuava. Um complexo que eu sempre tive com o meu cabelo cresceu ainda mais. Eu sempre gostei de cabelo curto, sempre achei bonito, meu sonho era ser tipo a branca de neve. Aí com 15 anos eu cortei. E no mesmo dia que eu cortei, li numa capricho que 75% dos meninos gostavam de garotas de cabelo comprido. A vontade de morrer voltou toda. E agora, com esse cabelo curto? Resultado: não cortei o cabelo por 7 anos, me sentia triste, demorava horas pra arrumar meu cabelo, me olhava no espelho e não me via.

O que eu quero dizer com esse desabafo todo é que todas nós nos sentimos um lixo, em diferentes graus, porque é isso que a indústria quer. Ela quer que a gente esteja sempre insatisfeita, pra depositar nossas frustrações comprando produtos que em tese, podem nos ajudar. Todas essas pequenas coisas que eu sofri na adolescência me trouxeram vários complexos que eu ainda me esforço pra perder. O maior deles é não me sentir bonita o bastante para as pessoas. Já me relacionei com caras maravilhosos, gatos mesmo, mas que me fizeram “fugir” porque eu não me sentia bonita o bastante pra eles. Que coisa mais doentia, gente! Se o cara se interessou por mim é porque ele me acha bonita. Até pouco tempo atrás eu me cobria dessas neuras, do cara me ver sem maquiagem e fugir, dele me ver descabelada e desistir. Mesmo ele me dizendo que me acha linda, gostosa, gata, pra mim eu sempre tinha que era tudo mentira, que ele tava fazendo isso pra me agradar e que eu não era bonita o bastante, e que a família dele ou os amigos iam me odiar.

E eu tenho certeza que você em algum momento da sua vida também pensou assim. E isso é ruim porque hoje eu ainda tenho dificuldades de me relacionar por isso. É um exercício diário me olhar no espelho e me ver bonita. Um grande passo da minha libertação foi cortar o cabelo, pela primeira vez eu me olhei no espelho e me vi. A Ana Paula, tímida, fechada e insegura, abriu pela primeira vez um sorriso de se ver sem mascaras no espelho, sem aqueles cabelos que cobriam meus ombros e meu colo magrelo, e que hoje eu acho lindo.

Postar uma foto sem maquiagem é um exercício muito mais difícil que eu pensei que seria. Ver minha cara limpa no display do celular foi assustador no começo, mas libertador quando eu vi que eu posso sorrir com os olhos sem corretivo. Que minhas olheiras são resultado do meu trabalho diário pra ser bem sucedida e respeitada. Que minhas espinhas são resultado dos meus hormônios, que funcionam muito bem e me orgulham de ser mulher. Que meus olhos pequenos são herança do meu pai, e são o que mais me fazem parecida com ele. Que meus lábios finos podem ser atraentes sem batom. Que meu nariz pode sim ser grande, mas ele é um traço forte no meu rosto, que demostra minha personalidade, mesmo com a minha “cara fofa” hahah. É um exercício diário, mas que hoje é libertador.

Eu desafio você a se olhar no espelho sem mascaras, internas e externas e se sentir bonita também, porque você é. Não deixem que te digam o contrário. Você é linda. Nós somos.

BwHn_BrIIAAJtps

#Napaulapalooza – Playlist #HojeTem

1990346177-partition-clipe-de-beyonce

Terça-feira é dia de playlist e não importa que ainda é terça, o tema é #HojeTem.

Sim, isso mesmo que você está pensando. Músicas sensuais e altamente convidativas para um strep-tease, uma performance pessoal, ou só pra deixar rolando no ambiente, quem sabe?

E tem pra todos os gostos, hip hop, rock, indie, soul, enfim, porque todos os ritmos tem aquela música que é perfeita para o ~momento~ hahahahahha. Pedi indicações pra galera no meu twitter e muita gente disse suas músicas preferidas para #ter.

E a sua, tá na lista? Quer indicar pra gente? Vale tudo! Dá o play aí e deixa rolar!

Tudo o que você precisa saber sobre o VMA em Gifs e fotos

Se você não vive em uma bolha isolada do universo ou é hipster demais para se importar com a cultura pop, você sabe o que teve ontem: Video Music Awards, o maior prêmio da indústria audiovisual do mundo. Em tese, EM TESE, a premiação é para os melhores clipes lançados entretanto são fãs que votam então só ganha porcaria kkkkkk. Mas não é disso que vamos falar. O VMA tem tradição por ser polêmico, trazer apresentações memoráveis e fazer história. Esse ano foi meio FUÉÉÉNNNN nesse quesito pq os melhores artistas estão mortos ou em turnê então foi o que deu mesmo e você que se contente. 980x551

Esse ano Miley Cirus não usou tóxicos antes do VMA e tava muito comportada, e Nicki Minaj mostra a bunda no clipe um dia antes e aparece lá comportada. Não sei o que aconteceu, acho que rolou muito cantinho da disciplina antes do evento. Mas vamos o que interessa: fatos.

Beyoncé prometeu e TOMBOU com todas num medley de tirar o fôlego com as músicas do seu novo CD. Ela arrasou, não tem outra palavra. É difícil conseguir conviver no mesmo mundo que Beyoncé sendo que você nunca vai ser como ela ou chegar perto de ser. Difícil. Ela é a artista mais completa da atualidade, até quem não gosta tem que admitir (e como não gostar???????). BOW DOWN BITCHES.

10628299_10152201856771146_1333106561153994669_n

O melhor momento foi a roupa da Katy Perry e do Riff Raff que simplesmente foram com a roupa jeans de BRITNEY SPEARS E JUSTIN TIMBERLAKE em 2001 quando eles ainda eram o melhor casal que o universo já viu. Como ninguém pensou nisso antes? Ponto no placar geral para Katy Perry, que além de tudo, ganhou um VMA (agora Grammy que é bom, neca). Pra mim o ponto alto foi esse mas como a gente não perde o bom humor nem na pobreza, separei o que eu mais gostei.

Katy Perry e Riff RaffKaty Perry

 

kkkkkkkkkkk plmdds

(mais…)

Calca flare: otima opcao pro trabalho

Calça Flare

Diretamente dos anos 70, as calças flare voltaram, mas agora com proporções mais equilibradas e menos exageradas. Por isso, é uma ótima opção para quem deseja estar atual, bem vestida e discreta no trabalho. Além disso, as proporções da calça flare favorecem quem tem quadris estreitos bem como ajudam a disfarçar quem tem quadris largos. Com o cós mais alto, ajuda ainda a disfarçar a indesejada barriguinha. Mesmo sendo um ícone do movimento hippie nos anos 70, hoje em dia, são uma ótima aliada para quem deseja estar discreta e elegante.

Para o ambiente de trabalho, opte por lavagens mais escuras, e combine com camisas de seda e blazers. Para quem é baixinha, a dica é escolher uma calça com barras mais compridas, e usá-las com saltos. Ao esconder os sapatos, a calça alonga a silhueta e dá a impressão de que a mulher é mais alta. Para quem tem pernas grossas e deseja disfarçar, escolha calças com a barra não muito larga, mas com uma leve abertura, suficiente apenas para cobrir os sapatos, e de preferência, calças sem lavagens desbotadas.

Abaixo, veja algumas inspirações das famosas que já aderiram às calças flare, e por última, uma boa opção de combinação para o trabalho. 001

002

003

Como combinar no trabalho: Calça Flare

Direito de resposta

maré

Uma flecha lançada ao tempo, um dia, atingirá um lugar. As flechas que são lançadas em alguém podem atingir o alvo, mas se não atingirem, ao menos, despertam uma reação.

Assim como as armas, as palavras também ferem, matam, marcam. Porém, ao contrário das armas, que sempre desencadeiam reações, as palavras podem calar.
Com mais força que uma fita super colante, e mais assustador que um “Engole o choro!” dito pelo pai, que parece ter dez metros de altura, perto de uma criança de dezenove anos, as palavras entram goela abaixo, sufocam e embebedam o corpo.

Paralisa. Mas não com o olhar Monalisa.

Travam músculos e respiração. Bloqueiam até a visão.

Sem resposta, o atirador permanece imóvel, entorpecido pelo silêncio, confundido pelas possibilidades. Um universo inteiro de respostas sem nada dizer.

Desesperado após perceber que nem os ventos, o céu, as estrelas e o mar podem ajudar, suicida com o próprio veneno, ou atira no próprio pé.

Não existe o direito de entender. Nada obriga a uma resposta.

Pode-se, apenas, perguntar.

Na intenção de garantir, no mínimo, a chance de um novo começo, tenta-se por um “a” antes o mar, para o sentimento ficar maior.

Foto: Tumblr.

Como usar tênis no trabalho

Fala sério, vocês já perceberam que eu tô numa fase de muito amor pelos tênis. Eu sempre amei e sempre usei, mas confesso que sempre tive um medinho de combiná-los em certos lugares, como o trabalho.

Mas hoje em dia, ainda mais porque minha coleção de tênis tá crescendo pra caramba (e não vai parar tão cedo hahahhaha), fui buscar inspirações de como usar os meus tênis pra trabalhar, porque eu amo amo amo ficar confortável durante o dia!

Os tênis perderam aquele status meramente esportivo faz tempo, hoje fazem parte das nossas sapateiras tranquilamente, e tem tantos modelos pra escolher quanto os sapatos de salto, é ou não é? Antigamente era difícil encontrar tênis bonito, hoje é a coisa mais fácil do mundo, até porque as lojas online ajudam a gente a encontrar tênis da gringa por um precinho ótimo. E pra mim nem sapatilhas são confortáveis como os tênis. Elas podem ser fofas, bonitas, boas pra bater perna, mas algum sapato supera o tênis no conforto? Acho difícil, talvez os chinelos havaianas hahahahahahah.

Mas antes de sacar seu par de tênis pra ir trabalhar, alguns pontos devem ser considerados:

  • Seu ambiente de trabalho permite? Certas empresas tem dresscode definido ou uniforme, que muitas vezes não permitem o uso de calçados esportivos… mimimimimi :(
  • E isso esbarra também em outra questão: sua profissão permite o ~despojamento~ de um tênis? Há carreiras mais formais em que o tênis não é bem visto #abaixoopreconceito
  • “Ah, Napaula, minha empresa é super cool e deslocada, posso usar a roupa que eu quiser!”, legal, mas não é a roupa que quiser né? Se você vai usar tênis, pra não ficar com muita cara de adolescente no colegial ou tiozão do pavê, combine com peças mais legais e sóbrias, como um jeans mais escuro ou um blazer. Isso dá um tom profissional, e um pouquinho despojado, que não faz mal a ninguém!
  • Não é porque você tá de tênis – que pode ser tipo all star ou esportivo – que você vai usar roupa de academia, né gata? Deixa a calça legging e camisetona pra ir malhar. Até tênis esportivos podem ser combinados com jeans e camisa, e fica bem moderno e bonito!
  • Eu sei, e como sei, que todo mundo tem aquele tênis xodó, aquele all star velho, rasgado, rabiscado de caneta bic, surrado, ou sujo (ou tudo isso num tênis só), e sei que ele é o sapato mais confortável EVER mas pera lá miga, você não trabalhar com esse tênis né? O que a gente não pode esquecer é que acima de tudo a gente vai pro trabalho, então, pelo menos um tênis limpo hahahahahah. E outra, tem tênis que dá muito chulé, principalmente se ele for velho, então, se você não abre mão dele e ele é bem conservadinho mas tem o cheirão de queijo vencido, por favor, passa um talquinho, ou lave ele com mais regularidade. Ninguém merece chulé, amigas!!! hahahahh

Levando essas diquinhas básicas pra si, seu tênis pode ser seu melhor companheiro de vida ♥

Agora, vamos ao que interessa, como combinar?

- Jeans: ele é o coringa né? Vai bem com tudo, ô peça abençoada!

- Camisas: as camisas dão um tom mais formal ao ~look~, e o tênis quebra essa formalidade. Combinando as cores do jeito certo, é batata!

- Calça de couro: se seu ambiente de trabalho permite, as calças de couro perdem um pouco da 100sualidade com o tênis e se tornam uma peça muito moderna.

- Calça de alfaiataria: claro que o modelo do tênis tem que ser muito levado em consideração nessa hora. Alguns tênis com aplicação em couro ou verniz vão muito bem com as calças de alfaiataria, de preferência, as mais skinny.

- Blazer: assim como as camisas, elas quebram um pouco a informalidade do tênis, bem como são complementadas com um ar despojado que vem do sapato.

- Sobreposições: suéteres com a gola da camisa pra fora ficam ótimos quando combinados com tênis, dão um ar romântico à produção.

Agora, pra vocês se inspirarem, várias opções legais:

Tenis no trabalho 2 Tenis no trabalho 3 Tenis no trabalho 4 Tenis no trabalho 5 Tenis no trabalho 6 Tenis no trabalho 7 Tenis no trabalho 8 Tenis no trabalho 9 Tenis no trabalho 10 Tenis no trabalho 11 Tenis no trabalho 12 Tenis no trabalho 13 Tenis no trabalho 14 Tenis no trabalho

1 2 3 65